Tacio Philip Sansonovski - fotógrafo macro e montanhista
Fanpage Tacio Philip
> busca
página inícial
últimas notícias
lojinha

sobre
- Tacio Philip
- currículo
- meu blog
- facebook

montanhismo
- no Brasil
- alta montanha

arquivos
- gps
- cartas topo
- wallpaper

postagens recentes
.: ver todos :.:

contato
- email


Adote um Gatinho


Eu não uso drogas!

Blog Tacio Philip
Nesta página postagens de 553 ate 560 de um total de 568 no blog.
< Postagens mais novas | Listar todas postagens |
Postagens mais antigas >

04/07/2017 12:43:28 (#560) - Show do King Diamond - Abigail tour - São Paulo

Depois de um Sábado light (show do Teatro Mágico), o Domingo, dia 25 de Junho, foi reservado para desintoxicar meus ouvidos, com a Lorena, no Liberation Festival, no tão esperado show, após 21 anos de sua apresentação no lendário Monsters of Rock de 1996 (sim, eu estava lá), do King Diamond.

Com preguiça por causa dos horários dos shows (sim, eu gosto de shows "matinê"), a Lorena e eu saímos de casa perto das 17 h e só chegamos no "Espaço das Américas" perto das 18 h, quando o show da banda nacional "Test" já havia acabado e estavam no palco o pessoal do "Heaven Shall Burn". Depois de uma passeada pelo local soubemos que o "maldito" (no bom sentido) copo temático do festival estava sendo vendido em uma única banquinha, de merchandise "oficial", e que havia uma fila absurda, então lá fomos nós. Essa hora o 2º show da noite já estava no final (não me agradou, eu nem percebia quando uma música acabava e começava a outra) e logo começou o show do "Carcass", o qual assumo que conheço pouco mas não esperava muito, por ser mais pesado que os que costumo ouvir.

Entretanto, enquanto ficávamos umas longas 1h30 na fila para comprar o copo, prestei atenção ao show do Carcass e foi muito bom. O som estava ótimo e as músicas são empolgantes. Com o final do show próximo nos aproximamos também da "lojinha", compramos o tão desejado copo e então voltamos para a pista, para aguardar os próximos shows.

O 4º show da noite foi o "Lamb of God", uma banda que parece uma mistura de Bob Marley + Pantera (alguns "raggaeiros" que ganharam uma guitarra e bateria dos pais e resolveram fazer som mais gritado e chapados de maconha), realmente achei insuportável (para não dizer mais) e, como não tinha onde nos escondermos naquele som chato pra kralho, acabamos ficando sentados no chão da pista só contando os minutos para que eles saíssem e seguissem seu longo caminho para casa.

Finalmente o silêncio chegou e, continuando sentados nos chão, aguardamos o "tempo passar por nós" até que, finalmente, começou a introdução do tão esperado show, com um palco super produzido baseado na história do álbum Abigail, que este ano completa 30 anos do seu lançamento, e seria tocado na íntegra.

Apesar do público estar mais morto que o bebê Abigail que foi apunhalado pelo King Diamond na metade de seu show, o setlist foi excelente (apesar de eu achá-lo curto). A apresentação da banda foi perfeita, começando com algumas músicas do repertório solo do King Diamond, intermediado por duas de sua banda Mercyful Fate (as espetaculares Melissa e Come to The Sabbath) - eu queria mais do Mercyful - e, depois de uma breve pausa, aí sim começou o "Abigail", na sua sequência do início ao fim (o álbum inteiro é uma história) e sempre com interpretações teatrais do King Diamond e uma mulher no papel da Mirian (se não sabe o que estou falando, ouça o álbum inteiro acompanhando a letra) ;-)


Veja aqui mais fotos

Mas, como sempre, um show bom acaba logo - assim como eu tinha acabado com minha voz - e mal vimos o tempo passar. Depois de alguns minutos com o "rei" se despedindo do público todos se retiraram do palco e nós, que ainda tínhamos mais de 1h30 de estrada para ir para Capivari, também seguimos nosso caminho, saindo do local pouco antes da meia-noite. De lá, estrada e finalmente o merecido banho e cama.

Só espero que o próximo show do King Diamond não demore tanto e, quem sabe, algum dia ainda eu possa assistir, novamente, ele como Mercyful Fate, que já assisti 3 vezes e assumo que gosto mais ainda que sua carreira solo.

Algumas fotos do show podem ser vistas no link Show King Diamond.

Setlist do show do King Diamond - Abigail tour - São Paulo
01. Welcome Home
02. Sleepless Nights
03. Halloween
04. Eye of the Witch
05. Melissa (Mercyful Fate)
06. Come to the Sabbath (Mercyful Fate)
07. Funeral
08. Arrival
09. A Mansion In Darkness
10. The Family Ghost
11. The 7th Day Of July 1777
12. Omens
13.The Possession
14. Abigail
15. Black Horsemen

E, só para fechar a postagem, abaixo um vídeo com o show completo (com áudio espetacular - aposto que foi tirado da mesa de som). Se você perdeu, ignore a qualidade da imagem e curta o som (eu já baixei pro meu HD e garanti meu mp3 pra ouvir no carro) ;-)

Show do Carcass

Enviado por Tacio Philip às 12:43:28 de 04/07/2017



04/07/2017 10:41:19 (#559) - Subida da Serra do Lopo via Joanópolis e show Teatro Mágico

No dia 17 de Junho, depois de acordar por volta das 4h30 da madrugada, às 5h15 a Lorena e eu saímos de casa, em Bragança Paulista e, logo depois do pedágio da Fernão Dias, sentido MG, nos encontramos com o Juvenil e a Renata, para subirmos a Serra do Lopo, via Joanópolis (ou ali é Vargem?), um caminho que eu ainda não conhecia. O motivo de irmos tão cedo era o Juvenil ter que voltar cedo por causa de trabalho e isso foi bom, ainda no escuro, com as headlamps na cabeça, já tínhamos estacionado o carro e começávamos a caminhada serra acima.

Pouco tempo depois de começarmos a andar o Sol começou a nascer, as lanternas não foram mais necessárias e logo paramos em um dos riachos do caminho, onde o Juvenil preparou um café para podermos acordar de verdade. De lá, junto com muita conversa fomos subindo, subindo, subindo até que saímos em uma bifurcação na trilha entre a Pedra das Flores e a Pedra do Cume, na Serra do Lopo. De lá, poucos minutos e estávamos no cume, sentados apreciando a vista da represa e cidades bem abaixo de nós.

Depois de um bom tempo enrolando e fazendo algumas poucas fotos (que podem ser vistas no link Serra do Lopo via Joanópolis seguimos nosso caminho, agora só para baixo, chegando no carro perto das 11h da manhã. Essa foi uma trilha bem legal por um caminho que eu não conhecia. Ao total deu por volta de 9 km com uns 800 metros de desnível acumulado, inclusive já está passando pela cabeça uma travessiazinha da serra, subindo (ou descendo) pela trilha do Pinheirinho e emendando nessa (e, quem sabe, ainda voltando pela estrada até o início, o que vai dar um circuito de uns 30 km).

E, saindo de lá, a Lorena e eu aproveitamos para voltar para casa por Joanópolis, fazendo uma merecida pausa para um "leve" almoço de PF-feijoada, em um restaurante na praça principal (quase tivemos que deitar nos bancos da praça pra dormir um pouco antes de seguirmos caminho...). Na volta passamos ainda por Piracaia e logo estávamos em casa para um merecido cochilo, à tarde.

A semana seguinte foi totalmente urbana, em São Paulo, e reservada a shows. O primeiro, no Sábado, foi do Fernando Anitelli, vocalista do Teatro Mágico, em uma apresentação "voz e violão" em um Teatro (já dá pra imaginar que a escolha foi da Lorena, certo?) :-P

Antes do show nos encontramos com o Tiago (que estudou com a Lorena), que já tinha ido ao teatro retirar os ingressos e, na busca por comida, acabamos parando em uma quermesse-gourmet no Tatuapé (onde você comprava um cartão onde era inserido crédito para debitar nas barraquinhas). De lá, ainda faltando um tempo para o show, voltamos para o teatro onde ficamos conversando e esperando um casal de amigos do Tiago, antes de entrarmos para a sala para o devido show.

Apesar de eu não gostar muito de sons "leves" e muito menos cantados em português (principalmente estilo "voz-violão", MPB eu odeio, prefiro pregos no ouvido e nas têmporas), esse foi bem divertido, animado (no que pode-se chamar animado um show que você assiste em um teatro, sentado e em cadeira marcada) e realmente valeu a pena conhecer/assistir (inclusive talvez repetiremos a dose, em show aberto, em Bragança, esse mês).

Saindo do show dei uma carona para o Tiago (que ficou no metrô) e pro casal (que não lembro o nome) que moram perto de casa e logo estávamos em casa. O dia seguinte seria minha vez de escolher o show, em um festival que teria nada menos que Carcass (pesado até para meus padrões) e King Diamond. Mas esse merece uma postagem à parte. ;-)

Enviado por Tacio Philip às 10:41:19 de 04/07/2017



04/07/2017 10:06:33 (#558) - Show Terra Celta e retorno às escaladas

Tentando colocar o blog em dia (realmente não tenho tido muita paciência para postar), há quase 2 meses, no dia 27 de Maio, depois da Lorena e eu esperarmos e procurarmos por algum tempo, finalmente fomos assistir um show do Terra Celta, banda de Londrina que a Lorena já tinha assistido algumas vezes mas eu só tinha visto, durante um show curto, na abertura do festival folk odinskriegerfest. E, mostrando que a espera valeu a pena (sempre ficávamos de olho na agenda deles esperando por um show "próximo" de nós), esse show foi no "Galpão Busca Vida", a distantes 6 km de casa, em Bragança Paulista :-)

Sendo assim, lá pelas 23h (só esse horário me mata, gosto de show "matinê"), já estacionando o carro no "Galpão", a Lorena e eu nos encontramos com o Borelli e a Joice para o show que começaria por volta da meia-noite. No local demos uma andada (eu tinha ido lá, uma só vez, com o Borelli, há pelo menos uns 15 anos, época que conheci Bragança Paulista), tomei uma cerveja (e eles uma pinga artesanal) e ficamos então esperando o início do show.

O show em si foi excelente e, diferente do que eu tinha visto anteriormente, que tinha sido bem curto, esse teve umas 2 horas de duração/animação, regado com suas músicas que misturam sons folclóricos celtas com música brasileira, um show que realmente vale a pena (apesar da maioria das músicas serem cantadas em português, o que eu não gosto muito - acho que a letra "atrapalha" a sonoridade). No final, por volta das 3h da madrugada, já tendo virado abóbora há muito tempo, pegamos estrada e 6 km depois estávamos em casa.

E, aproveitando a chegada do inverno (e com ele, teoricamente, a diminuição das chuvas - o que não tem acontecido de verdade), desenterrei uma boa dose de motivação (inclusive pensando em futuras escaladas) e voltei a treinar pesado na 90 graus. E também tenho ido algumas (muitas vezes) para o Visual das Águas (do "lado" de casa) desenferrujar meus dedos na escalada em rocha, aproveitando que conheci novos parceiros para escaladas em Bragança, principalmente o Juvenil que, com sua escala de trabalho, consegue dias livres durante a semana.

E a rotina está essa: escaladas, pedais (mantenho os pedais praticamente semanais com o Alessandro em Itu), trabalho (cada vez menos nesse mundo falido e sem sentido de jogar minha vida fora vendendo meu tempo e conhecimento para os outros), show e montanhas.

E veja neste link algumas fotos do Show do Terra Celta em Bragança Paulista.

Enviado por Tacio Philip às 10:06:33 de 04/07/2017



13/06/2017 11:01:01 (#557) - Review: Livro 17 Equações que Mudaram o Mundo

No final de semana passado (dia 10/06/2017) terminei de ler o livro 17 Equações que Mudaram o Mundo de Ian Stewart.

O livro é basicamente dividido em capítulos "quase-independentes" (falo "quase" porque em alguns, mais para o final, eles faz alguma referência aos anteriores) onde mostra a história de onde veio a base para que alguém desenvolvesse tal equação, sua relevância na época e sua utilidade e derivações no mundo atual (o que achei hiper-mega-super interessante).

A leitura, pensando nos conceitos matemáticos, não é fácil. Os primeiros capítulos foram bem mas logo começou a complicar e, nos capítulos finais, assumo que não entendi quase nada da matemática implícita nas equações. Entretanto, mesmo com isso, o livro vale muito a pena. Como disse no parágrafo anterior, o que achei mais interessante mesmo foi o histórico que mostra a base que foi necessária para se chegar à equação, sua implicação na época e seu uso atual.

Tanto para quem gosta de matemática (eu!), quanto para quem gosta de história da ciência (eu também!), eu recomendo muito esse livro. Serve inclusive como livro de consulta sobre alguma fórmula em si, já que elas são abordadas de forma quase totalmente independente.

Abaixo algumas livrarias onde você encontra o livro à venda por bons preços (pesquise entre elas) ;-)
Saraiva - Livraria da Folha - Livraria Cultura - Livraria da Travessa - FNAC

Enviado por Tacio Philip às 11:01:01 de 13/06/2017



01/06/2017 11:46:51 (#556) - Review: Livro Leia isto se quer tirar fotografias incríveis de lugares - Henry Carroll

Essa semana comecei e já terminei de ler o livro Leia isto se quer tirar fotografias incríveis de lugares, de Henry Carroll, lançado pela Editora Gustavo Gili Brasil.

Este é o 3º livro de uma série (4º se considerarmos um que é um diário), de Henry Carroll, que tem como grande diferencial não se prender à técnica, mesmo a abordando quando necessária e como lembrete, mas sim, à imagem em si, o porquê de diversos exemplos, dos mais diferentes fotógrafos, serem consideradas "boas fotografias" e qual seus diferenciais.

Este terceiro livro segue o formato dos títulos anteriores (Leia isto se quer tirar fotografias incríveis, Leia isto se quer tirar fotografias incríveis de gente e Use este diário se quer tirar fotos incríveis), com uma leitura leve e agradável, agora com ênfase na fotografia de "lugares", sejam paisagens naturais, urbanas, interiores ou o que for, sempre através da leitura da imagem, fato que me lembrou muito algumas das aulas que tive na pós graduação em fotografia.

Sem dúvida é um ótimo livro para quem não quer ficar no "tecnicismo" das centenas de livros que abordam com palavras novas o que o manual da câmera já diz (como regular a câmera) e quer dar um passo adiante. Realmente é um livro que faz você pensar a imagem, o que ela representa e o que você quer transmitir. RECOMENDO!!!

Alguns links de livrarias onde você encontra este e os outros livros da série:
- Livraria Saraiva - FNAC - Livraria Cultura - Livarria da Travessa - Livraria da Folha - Editora GG

Enviado por Tacio Philip às 11:46:51 de 01/06/2017



25/05/2017 14:33:39 (#555) - Como vender fotografias em bancos de imagem na internet

Já faz um tempo que eu penso em escrever esse texto e, agora que completou mais de 1 ano que estou vendendo imagens em alguns bancos de imagem internacionais (desde jan/2016), acho que dá pra colocar minha opinião e experiência com isso.

A primeira coisa que eu penso sobre o tema é: eu devia ter começado antes! Certamente, se eu tivesse começado a postar imagens tão cedo quanto eu comecei a fotografar, hoje em dia teria muito mais imagens disponíveis (com isso teria mais vendas), teria mais experiência (então postaria fotos mais vendáveis) e no final, estaria ganhando mais.

Neste um ano e meio de "trabalho" com banco de imagens não ganhei uma fortuna, ainda estou longe de viver só disso, mas também não posso reclamar muito. Uma das coisas que fazem diferença é você "acertar na veia" com alguma imagem que não seja muito fácil de se encontrar e que tenha procura. Eu, por exemplo, tenho uma foto de um Aedes aegypti que é responsável por mais de 50% de TODAS minhas vendas (dá-lhe Dengue!).

E, falando em valores, muita gente desanima quando fica sabendo das comissões de venda sobre cada imagem, mas você têm que pensar em atacado (venda em quantidade, por isso penso que devia ter começado antes). Esse valor varia de um banco de imagem para outro e varia também de acordo com o uso da imagem. A maioria das vendas (normalmente imagens baixadas por pessoas que tem assinaturas no banco de imagens) realmente pagam pouco, ficando em torno de US$0,20 - US$0,50 por download (em alguns sites esse valor sobe se você vender acima de determinada quantidade). Entretanto, é comum também ter algumas vendas com valores maiores, de pessoas que compram apenas uma (ou algumas) imagens no site, com esse valor podendo variar de US$1,00 até (no meu caso) US$62,50 (sim, US$62,50 em uma única venda, o que não é nada mal).

Outra coisa, todos os valores (nesses sites que indico) são em dólares. Para sacar o valor ganho a maneira mais fácil é usando paypal e é necessário "juntar" uma quantidade de vendas antes de poder sacar (esse valor varia entre US$30 e US$100, depende o site).

Na imagem abaixo usei como referência para o comparativo a quantidade de downlods/ganhos da minha imagem mais vendida, que enviei logo que me cadastrei em todos os sites que listo abaixo, durante um período de quase 1 ano e meio. Está ordenado por ganho - note que um dos bancos de imagem, mesmo com menos downloads, está acima na lista, então foi pago melhor valor por ele. Para esse "resumo" estou usando o programa Microstockr (ainda testando, instalei esses dias para poder controlar melhor as vendas).

Sobre o tema das imagens a serem postadas, pode-se dizer que tudo tem potêncial para venda (natureza, pessoas objetos, animais, abstratas, esportes, editoriais e o que você imaginar), desde que seja uma foto tecnicamente bem feita (quando você envia uma imagem ela é analisada e às vezes rejeitada se não condizer com os padrões do banco de imagem - mas uma imagem rejeitada em um site muitas vezes é aprovada em outro, não tem um padrão universal).

Entretanto, o que aumenta o potencial de venda de uma fotografia é sua exclusividade (aí que entra o olhar diferenciado do fotógrafo). Mas às vezes uma imagem que você não dava sequer valor acaba tendo uma boa saída e outra imagem, que você achava que venderia milhões, fica encalhada sem vendas. Acredito que se você tiver alguma experiência com publicidade/propaganda ficará mais fácil saber o que o mercado está procurando. Para ajudar nisso, muitos sites têm blogs onde eles dão dicas das tendências atuais de imagem, vale a pena ficar de olho nisso. E lembre-se: fotos de pessoas necessitam de termo de autorização - os sites já fornecem um modelo - e para uso publicitário não pode aparecer nenhuma marca ou logotipo na fotografia (esses são motivos comuns para rejeição).

Procurando equipamento fotográfico (ou qualquer outra coisa)? Clique aqui e compare o valor em dezenas de lojas!

Fechando o texto, para não ficar muito longo, abaixo links para cadastro nos bancos de imagem que participo atualmente. Estão listados em ordem de "retorno financeiro" que tive até hoje (mas não pode ser uma referência absoluta porque não enviei para todos a mesma quantidade de imagens). Inclusive, aqui uma coisa interessante: alguns deles tem opção para você ser vendedor exclusivo, tendo comissões mais altas, mas não exigem isso. Então, tendo a imagem ajustada, nada impede que você a envie para diferentes sites.

Shutterstock - Portfolio
De longe esse é onde mais vendi até agora.

Adobe Stock/Fotolia - Portfolio fotolia / Portfolio adobe stock
Não vende muito mas sempre sai alguma coisa.

istock/Gettyimages - Portfolio
Parece que agora estou começando a engrenar nele e as vendas tem aparecido mais.

Dreamstime - Portfolio
Fraco mas ainda tenho esperança neles. Atualmente enviei mais material.

Depositphotos - Portfolio
Muito fraco. Praticamente abandonei (faz tempo que não envio material novo).

Se gostou do texto não deixe de compartilhá-lo nas redes sociais, enviar para seus amigos e deixar sua curtida e comentários aqui embaixo!

Boas vendas, não desanime (o início é lento) e pense em vendas no atacado! ;-)

Enviado por Tacio Philip às 14:33:39 de 25/05/2017



07/04/2017 21:54:03 (#554) - Hospital São Paulo e os neurologistas Vinícius Burnett e Bruno M.L.Badia

Ontem deixei um comentário sobre o que aconteceu no dia 22/03/2017, no hospital São Paulo, em sua página no Facebook mas, como o comentário foi denunciado (provavelmente por algum(ns) desses médicos e "amiguinhos de classe") o mesmo foi excluído da página e eu fui bloqueado para publicações, comentários ou o que for por 3 dias. Para evitar que isso ocorra novamente e poder contar o ocorrido resolvi então postar aqui no meu blog, onde eles não podem "clicar em denunciar" e apagar (afinal, só estou postando o que aconteceu, não estou inventando histórias).

Se você precisa (ou pode vir a precisar) do atendimento do Hospital São Paulo ou dos médicos Vinícius Burnett e Bruno M. L. Badia, dê uma lida e tire suas conclusões.

Resumo:
No dia 22 de Março de 2017 minha mãe acordou passando mal, sem sentir o lado esquerdo do corpo e foi levada até o hospital São Paulo (laboratório dos estudantes da Unifesp) por alguns de seus amigos vizinhos (eu estava fora do estado no momento do ocorrido).

Conforme me contaram, o pronto atendimento do hospital foi ok, tudo conforme o esperado e no caso minha mãe tinha sofrido um AVC, sendo prontamente atendida e fazendo diversos exames imediatamente (tomografia, hemograma, eletrocardiograma etc.) de acordo com o protocolo para o caso.

Neste meio termo, eu que estava em Ponta Grossa - PR, retornava para São Paulo, chegando ao hospital por volta das 15 h, quando minha prima já acompanhava minha mãe e, para nossa surpresa, já tinha recebido alta e podia voltar para casa com uma simples receita de AAS para afinar o sangue e sinvastatina para colesterol.

Mesmo surpreso com essa liberação (após umas 6 horas da entrada no hospital) retornamos para casa onde eu conversei com diversas pessoas (da área de saúde) e todos comentavam que o padrão para AVC era ficar em observação por 72 horas pois a reincidência é muito comum.

Com o chegar da noite e minha mãe sofrendo de dor de cabeça (como o médico que a liberou disse: "se sentir algo volte") resolvemos voltar ao hospital São Paulo.

Novamente o pronto atendimento foi ok, em casos assim o atendimento é razoavelmente rápido e, após sermos atendidos por uma provável residente, o "neurologista" veio também dar uma olhada, disse ter olhado a tomografia (tinha uma imagem na tela do computador), fez uns testes de reflexos e disse pra irmos para casa descansar (!!!).

Felizmente minha mãe não teve nenhum outro AVC mas no dia seguinte, como garantia, passamos por consulta (em médicos particulares - não temos convênio) com clínico geral e neurologista, ambos confirmando que no caso de AVC era (na palavra de um dos médicos) "ridículo terem liberado assim".

Hoje, passadas duas semanas, minha mãe está se recuperando bem, fez uma grande quantidade de exames, está medicada, fazendo fisioterapia e logo devemos voltar ao ritmo de vida normal.

Fica aqui então essa minha indignação (bem resumida para que as pessoas leiam) com o Hospital São Paulo mas, mais ainda, pelo tratamento de "manda pra casa" dos "doutores":
- Vinícius Burnett - CRM-DF 23144 CRM 186884 (1º médico a liberar no período da tarde)
- Bruno M.L. Badia - CRM 176617 (médico do atendimento noturno)

Tire suas conclusões sobre esses "médicos".

E, para poder ajudar mais pessoas que possam ter problemas com médicos, usem este link para informações e formulário sobre como fazer uma denúncia ao CRM (conselho regional de medicina), é super simples e nos próximos dias estarei enviando a minha.
http://portal.cfm.org.br/index.php?option=com_denuncia&Itemid=61.

Enviado por Tacio Philip às 21:54:03 de 07/04/2017



20/02/2017 22:16:07 (#553) - O que fazer com cordas de escalada aposentadas?

Se eu fosse escrever um texto com um linguajar como o visto no mercado de arte (e que vi durante minha pós em fotografia), eu poderia falar que estou "re-significando a função mecânico-estética de um aparato inorgânico em um sistema habitacional moderno". Mas, como cansei desse papo blá blá blá que fala, fala e não diz nada, esse vídeo mostra "apenas" uma dica sobre o que pode ser feito com antigas cordas de escalada (as que não servem mais para se escalar) :-)

E não deixe de seguir meu canal para mais vídeos (sobre este e muitos outros temas). Acesse youtube.com/macrofotografia.

Não esqueça de curtir o vídeo e compartilhar com seus amigos que possam achar essa dica interesante!

Enviado por Tacio Philip às 22:16:07 de 20/02/2017



< Postagens mais novas
Listar todas postagens
Postagens mais antigas >

cursos diversos
- GPS: Operação, planejamento e tratamento de dados
- Escalada em Rocha
- Calculadora hp 50g
- Calculadora hp Prime
- Macrofotografia e close-up
- Photoshop para fotógrafos

aulas fotografia
- Fotografia Básica
- Macrofotografia e close-up
- Foto noturna
- Fotografia 3D
- Fotometria aplicada
- Workshops

fotografias macro
- tradicionais
- stacking
- anaglifos (3d)
- abstratas

fotos recentes
- travessia norte-sul no caparao
- escalada em arcos
- reabertura de trilha na serra do lopo
- escalada pedra amarela
- show king diamond
- serra do lopo via joanopolis
- show terra celta braganca paulista
- montanhas de monte verde
.: ver todos :.
.: buscar imagem :.

vídeos
YouTube

* será redirecionado para o site:
macrofotografia.com.br

free counters


© Tacio Philip - 2005/17
Não é permitida cópia parcial ou total do conteúdo ou código fonte deste site.
12 Usuários Online (400 nas últimas 24hs)